Aprenda 5 exercícios para enfrentar o que o faz sofrer

De certeza que ninguém o ensinou a enfrentar o que lhe faz mal, de forma direta, como se lhe ensinassem matemática no colégio.Talvez, lhe tenham dito sempre: “não chore”, “o tempo cura tudo”, “já vai passar”…

Mas nada disso o ajudou, até o fez sentir pior. Por isso, hoje, oferecemos 5 exercícios para enfrentar o que lhe faz mal.

 

Ignorar a dor nunca é a melhor opção. Essas emoções precisam de um olhar direto, embora seja doloroso e uma montanha-russa emocional, é importante confrontar a nossa mente, para que não criemos travamentos emocionais,  que irão se repercutir na nossa vida durante muitos anos.

1. Aprenda a soltar a dor

Para realizar o primeiro dos exercícios para enfrentar o que lhe faz mal só precisa de um lápis ou um objeto pequeno, que não parta facilmente.

Coloque-o na mão e aperte-lo fortemente, com toda a força que tiver. Agora, vai imaginar que esse objeto são as suas emoções, os seus pensamentos , ou aquela pessoa que não te fez bem.

No início, apertar esse objeto será desconfortável. Mas, depois, começará a doer-lhe a mão. Quando isto acontecer,  solte o objecto e permita que o objeto, em que você visualizou tudo  aquilo que lhe fazia dano, caia no chão.  Aqui fica a saber que você pode largá-lo o agarrar-se a ele. O mesmo ocorre com todas essas emoções ou pessoas que tanto dor lhe causam. Você pode soltá-las.

Quando nos apegamos a certas situações, consideramos que já fazem parte de nós, ainda que nos façam dano e não somos capazes de dar-nos conta de que somos nós que estamos a escolher sofrer. Em qualquer momento, podemos desapegarmo-nos.

2. Observe a maneira como fala acerca dos problemas

Neste segundo exercício para enfrentar o que lhe faz mal, você vai ajudar a compreender a maneiro como fala acerca dos problemas. Talvez pense que o faz de uma forma positiva, mas você vai se surpreender ao descobrir que você usa mais frases e pensamentos negativos dos que julga. Para realizá-lo, vamos dar um exemplo.

Imagine que você está no ginásio, e que alguém se envolve numa conversa consigo. Quando se despedem, a outra pessoa te diz “eu estou feliz de ter falado contigo”, e você vai demorar a reagir. Se você colocar um pouco nervoso e responder um pouco inseguro “eu digo o mesmo”. Quando você está indo para os vestiários não consegue parar de pensar em como idiota que você é,  e a figura ridícula que sempre você faz ao falar com outras pessoas.

O importante é que esteja consciente de todas estas afirmações nem que tenha de colocar-se diante de um espelho e lhe diga isso que você falou ou pensou. Aquilo que pensou é positivo? Ou negativo! qual seria a sua resposta?  Você ao fazer este exercício vai perceber como você dá socos a sua auto-estima, uma e outra vez, sem ter consciência disso,  sofrendo os seus efeitos.

3. Vive o presente

Uma forma de enfrentar o que lhe faz mal é colocando em prática um outro exercício, viver o presente. Este exercício pode  parecer a técnica do mindfulness. Por isso, vamos ver como você pode se concentrar no momento presente, os teus amigos, etc do passado e do futuro, por um momento, já que é aí onde está a dor.

Durante uma semana, escolha algo em que pretende estabelecer. Por exemplo, segunda-feira, em como respirar, terça-feira, em como seus pés estão em contacto com o solo, terça-feira, como a água, cortando sua pele ao lavar as mãos, a louça ou ao banho… Faça o mesmo para o resto dos dias da semana. Isto irá ajudá-lo a valorizar as pequenas coisas e lhe permite soltar um pouco mais o que te faz dano.

Agarrarmo-nos ao que nos faz mal impede que possamos apreciar as pequenas coisas, porque tudo gira em torno a essa dor que podemos soltar a qualquer momento.

4. Calcule o pior cenário

Este é o quarto exercício para o ajudar enfrentar o que lhe faz mal, que lhe permitirá desdramatizar a situação que está o fazendo sofrer. Muitas vezes, as emoções distorcem a visão de tal maneira que parece que tudo é terrível. Por isso, você vai antecipadamente calcular o pior cenário possivel.

Imagine que relação com o(a) seu(ua) parceiro(a) não está bem. Há algum tempo que vem a suportar e manter um relacionamento que lhe faz mal ao qual lhe custa muito colocar um ponto final. Você, vê  claramente a decisão que você deve tomar, mas o medo o invade e evita que você tome essa ação. 

Qual é o pior cenário que poderia acontecer? Talvez, ficar só, de ser diferente do resto de seus amigos, por não ter uma relação, estar com alguém não é sinonimo de amor… propomos-lhe que escreva todas estas circunstâncias difíceis, mas não dramáticas. Assim, você vai se dando conta de que muitas coisas que você colocou não são tão graves.

Para cada uma elabore uma resposta, tente encontrar formas como poderão tais situações  causar-lhe danos. Em alguns casos, você verá que não consegue uma resposta, e as que encontrar vão ser  improváveis até mesmo absurdas. Em outros, será consciente de que é verdade que uma situação pode doer, mas o que o leva a sofrer, é o fato de estares de alguma forma agarrado à situação.

5. Faça uma pergunta essencial

Ficar agarrado à dor é algo que leva, de forma inexorável, ao sofrimento. Por isso, todos os exercícios para enfrentar o que lhe causa dor, podem-no  ajudar a ver com mais clareza tudo o que acontece e, assim, tomar uma decisão que o beneficie.

Para finalizar, um último exercício consiste em apenas formular uma pergunta essencial. O que você diria para alguém que estivesse passando pelo mesmo que você? Coloque-se na situação de que é o seu irmão, ou um amigo que está vivendo a situação pela qual você está passando. A resposta para a pergunta que você formulou será aquilo que você deve aplicar em você mesmo. Esta pergunta pode ajudá-lo a abrir os olhos.

Gostou deste artigo? A melhor forma de nos agradecer é partilhando nas redes sociais e fazendo like nas nossas paginas do Facebook!
  • 516
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    516
    Shares

Deixe uma resposta