A Ciência por trás dos chakras

Einstein nos mostrou que tudo é energia. Quanto menor a vibração, mais sólida é a massa. Quanto maior a vibração, menos sólida a massa. O corpo humano é um exemplo perfeito de um sistema que inclui todos os tipos de vibrações energéticas. O corpo físico consiste em vibrações mais baixas, como o esqueleto, os músculos e os órgãos. Vibrações mais altas incluem fluidos corporais, como sangue, sêmen e saliva. As vibrações mais elevadas do corpo físico compreendem o corpo energético e consistem na aura, nos chacras e nos meridianos. Os chakras são os centros de transmissão de energia do corpo, recebendo informações energéticas do ambiente e enviando energia transformada para o corpo físico.

Os chakras vibram em freqüências muito altas e, portanto, são transparentes ou invisíveis. Valerie Hunt, professora de cinesiologia (estudo do movimento humano) na Universidade da Califórnia, estuda os sistemas de energia do corpo desde que começou a medir a aura nos anos 70. Seu trabalho com os chakras usa um eletromiógrafo, que mede a saída eletromagnética do corpo humano. Ela descobriu que o corpo físico emanava radiação em locais tipicamente associados aos chakras. Além disso, ela percebeu que níveis específicos de consciência estavam relacionados a freqüências específicas.

Por exemplo, quando as pessoas estão falando sobre suas vidas diárias, sua energia é de cerca de 250 Hz (hertz é um ciclo por segundo), indivíduos mais sensíveis que demonstram uma conexão com suas habilidades psíquicas geralmente variam de 400 a 800 Hz e aqueles que são extremamente Sensíveis como especialistas em trance e canalizadores normalmente variam entre 800 e 900 Hz. Com base nesses e em outros estudos, Hunt concluiu que o corpo é mais do que um conglomerado de sistemas físicos, mas que todos os sistemas físicos são organizados por energia – especificamente bioenergia. O estudo sugere a existência dos chakras e os identifica como envolvidos com a natureza física, emocional e energética do corpo.

O Dr. Hiroshi Motoyama, cientista e sacerdote xintoísta (fé indígena do povo japonês), realizou numerosos estudos para verificar os sistemas energéticos humanos, muitos dos quais se tornaram o assunto de seus mais de vinte livros. As observações de Motoyama eram que os sentimentos internos se correlacionam com os períodos objetivamente medidos de energia do coração e o levaram a concluir que a concentração mental em um chakra é a chave para ativá-lo. Itzhak Bentov, cientista e inventor que ajudou a desenvolver a indústria de engenharia biomédica inventando o cateter cardíaco direcionável, duplicou as descobertas de Motoyama.

 

Mais pesquisas nos levarão a uma maior compreensão do sistema de chakras e como usar a medicina energética para fortalecer e apoiar nossos corpos energéticos.

Obrigado por ler este artigo e esperamos que o ajude, a melhorar a sua pratica, a manter sua fé e  a sua crença no Reiki. Namastê VidaLusa T.L.

Gostou deste artigo? A melhor forma de nos agradecer é partilhando nas redes sociais e fazendo like nas nossas paginas do Facebook!
  • 406
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    406
    Shares

Deixe uma resposta